Prefeito assina contrato de mais 10 leitos de UTIs e formaliza convênio

A Prefeitura de Camaçari oficializou, nesta sexta-feira (19/6), junto ao Hospital Santa Helena, a contratação de mais 10 leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), com disponibilidade exclusiva para casos do novo coronavírus no município. O prefeito Elinaldo Araujo, o secretário da Saúde, Luiz Duplat, e representantes da unidade médica assinaram o contrato e formalizaram o convênio.

Com a assinatura do documento, Camaçari passa a contar com 26 leitos de UTI na cidade, exclusivos para o Sistema Único de Saúde (SUS). Os serviços serão direcionados às pessoas que não possuem convênio médico e sem condições financeiras para custear tratamento na rede privada.

A administração pública tem intensificado as ações de enfrentamento ao coronavírus, a fim de garantir atendimento a todos que precisarem ocupar leitos de UTI. “Trabalhamos diariamente para melhorar o suporte a todos os cidadãos que necessitem desse serviço neste momento. São mais de 20 leitos de UTI disponíveis para quem não tem condições de pagar tratamento. E vamos continuar fazendo o possível e o que estiver ao nosso alcance para não deixar de oferecer assistência à população”, afirmou o prefeito Elinaldo.

Para o secretário da Saúde, Luiz Duplat, essa contratação é muito importante. “Neste momento de pandemia toda e qualquer parceria é fundamental para combater o vírus. Como médico, reconheço que a Santa Helena é uma das empresas mais conceituadas da cidade e que presta um grande serviço ao município, com isso ficamos felizes por essa união”, disse o secretário.

Por meio do convênio, o hospital se compromete com a assistência médica 24 horas, inclusive sábados, domingos e feriados, equipe multidisciplinar, serviços de higienização, bem como recursos humanos e tecnológicos entre outros aportes, para o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus e com base nas necessidades complementares da rede pública, diante do cenário atual de circulação da Covid–19. Importante dizer que a unidade não funcionará como porta de entrada para admissão de pacientes, ou seja, as pessoas só poderão ser encaminhadas para o Hospital Santa Helena por meio da Central Municipal de Regulação de Leitos Covid-19.

“É muito importante para o grupo Santa Helena essa proximidade com o governo e pretendemos estar próximos de vocês com outras prestações de serviços. Estamos felizes com esta construção e nos colocamos à disposição”, finalizou Christiane Macedo, diretora executiva da empresa.

A previsão é de que no dia 5 de julho os leitos já estejam disponíveis. O ato contou ainda com a presença das diretoras da Média e Alta Complexidade e Atenção Hospitalar da Sesau, Elaine de Oliveira, e de Controle e Regulação do SUS, Elba Brito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *